REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

OPERAÇÃO HIGIA - Ex-policial confirma ter sido contratado para matar o advogado Anderson Miguel

            O ex-policial militar sergipano José Welton de Assis, 39, disse na última quarta-feira, em entrevista a um jornal de Natal, que foi contratado por Ivanildo Silva, o "Boca de Ouro", para assassinar o empresário Anderson Miguel. Para o serviço ele receberia R$ 10 mil após o crime. Segundo contou José Welton, as negociações foram realizadas dentro de uma casa noturna no bairro Planalto, e ele chegou a estudar a rotina do empresário, mas foi preso depois de se envolver em uma briga de bar. "Eu disse que mataria, mas não matei. Fui preso antes", disse. "Eu resolvi falar porque Ivanildo está tentando tirar o dele da reta e me complicar. Depois que fui preso, ele ligou para o meu celular, que eu tinha aqui dentro de Alcaçuz, e começou a me ameaçar. Mas eu já disse ao delegado, dei meu depoimento e estou à disposição da Justiça para qualquer esclarecimento", pontuou. José Welton e Ivanildo Silva foram submetidos à acareação na terça-feira (20), mas a polícia não quis revelar os resultados. O advogado Anderson Miguel foi assassinado no dia 1º de junho, deste ano, com cinco tiros, no bairro Lagoa Nova, em Natal, por volta das 17h. Os  disparos foram efetuados de uma pistola ponto 40. O advogado era apontado como alvo principal da "Operação Higia", que apura irregularidades administrativas em diversos setores do governo desde 2008.
Anderson Miguel foi assassinado dentro do escritório   Multidão acompanhou retirada do corpo de Anderson Miguel por funcionários do Itep
Postar um comentário