REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Segurança máxima? fuga da negocio? e quem ganha?

         Reportagem www.ocamera.com.br - Três presos conseguiram fugir nas primeiras horas da manhã de segunda feira 02 de Janeiro de 2012, do pavilhão de segurança máxima “Regime Fechado” da penitenciaria agrícola Mario Negocio em Mossoró. Segundo informações, os detentos arrombaram as grades das celas onde cumpriam suas penas e saíram até o pátio externo dos pavilhões. Já fora das celas eles forçaram um dos portões que dá acesso ao semi aberto e fugiram.  Francisco Fabio Junior de Souza, “Junior Chorão” cumpre pena na Penitenciaria acusado de assalto a mão armada. * Francisco Maxsuel Gomes Borges se encontra foragido. Felipe Gonçalves dos Santos Praxedes foi recapturado momentos depois da fuga. Policiais da viatura 211 conseguiram recaptura outro foragido do sistema semi aberto das penitenciaria no inicio da tarde de hoje. José Marcelo Marinho de Oliveira de 25 anos de idade morador da Ilha de Santa Luzia no Alto de São Manoel, foi detido no bairro Abolição II. Marcelo que estava foragido desde o dia 28 de Dezembro, ao perceber a aproximação da viatura, tentou fugir, mas foi alcançado e preso. O rapaz foi conduzido para o Centro de Detenção Provisório Masculino e deverá ser conduzido de volta para a penitenciaria Agrícola Mario Negocio.
Fuga no Pavilhão de Segurança Maxima da Penitenciaria Agricola Mario Negocio em Mossoró

Na foto Junior Chorão - Foragido


          Ser encarcerado, retirado do convívio social ou o chamado presidiário do tipo (segurança máxima) como este na foto. Ele escolheu ser bandido, ele optou por estar a margem da lei e porque eu ou você leitor tem que sofrer as consequências das escolhas do Chorão. Ele estar preso por sua culpa (digo) estaria preso por sua culpa. Mossoró não merece mais criminosos que eram para estarem presos, reclusos em uma penitenciaria de segurança máxima. Quem vai responder pelos crimes que o Chorão vai praticar? a resposta é simples são vocês que pagam altas cargas de impostos e que sofrem dia a dia pelas escolhas dos apenados soltos ou presos. Eu sempre defendi penas severas em presídios longe de centros urbanos, Nós não podemos pagar pelas escolhas erradas dos marginais, eles cometeram crimes e eles devem ser penalizados e não nós. É insignificante os que conseguem ser inseridos novamente no convívio com as pessoas. Preso tem que estar longe das cidades e das pessoas a quem ele por sua escolha as fez vítima.  


Postar um comentário