REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Supremo inicia cálculo das penas e impõe regime fechado a Valério

        BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal impôs nessa terça-feira, 23, ao empresário Marcos Valério Fernandes de Souza pelo menos 11 anos e 8 meses de prisão por três dos cinco crimes dos quais foi condenado no mensalão - corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha. O empresário também terá de pagar R$ 979 mil de multa, valor que ainda será atualizado. Marcos Valério,   necessariamente, cumprirá parte da pena na cadeia - isso ocorre quando a punição supera oito anos de reclusão. - reportagem http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,supremo-inicia-calculo-das-penas-e-impoe-regime-fechado-a-valerio-,949985,0.htm - Pois bem, a maioria do povo brasileiro incluindo alunos de direito até o terceiro período, acreditam que o supremo é a ultima instancia para que a Justiça resolva conflitos mas não é, existe uma instância  superior que chamamos de Tribunal Internacional que é uma união dos países que assinaram um tratado para que resolva de forma definitiva um conflito. Assim existem também o CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS (1969)(PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA)  e  CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS, que também resolvem conflitos internacionais, quero dizer que nós EXPMRN, que somos vítimas de uma sobra de ditadura militar também somos absorvidos por este tratado pois nossos direitos fundamentais foram cerceados, assim não haverá limitas terrestres para nossa luta. Eu ainda acredito na Justiça. Com isso quero dizer que possivelmente e eu acredito que os recém condenados irão apelar a Corte Internacional e nós EXPMRN apesar de não sermos marginais como eles são e tiveram todos os seus direitos constitucionais garantidos e nós NUNCA tivemos. A ampla defesa nos foi negado e isso é imprescritível, existe a ilegalidade do Estado do RN e esperamos no supremo ter nosso direito garantido para evitar que tenhamos a oportunidade e o privilégio de sermos agraciados pela  CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Eu ainda acredito na Justiça Brasileira.
Postar um comentário