REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

terça-feira, 30 de abril de 2013

JUDICIÁRIO EM "CHEQUE".

     O julgamento sobre o mérito do pedido de habeas corpus impetrado pela ex-chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça, Carla Ubarana, e do marido, George Leal, foi adiado mais uma vez. Previsto para ocorrer nesta terça-feira (30), durante sessão da Câmara Criminal do TJRN, a análise do caso não ocorreu devido à falta de quórum, ocasionada pela alegação de suspeição por parte de desembargadores. O caso está sob relatoria do juiz convocado Gustavo Marinho. além dele, também fazem parte da Câmara os desembargadores Ibanez Monteiro, Zeneide Bezerra e Virgílio Macêdo, que é o atual presidente da Câmara Criminal. Para que o processo fosse analisado, seria necessária a participação de pelo menos três membros, o que não ocorreu. Como a desembargadora Zeneide Bezerra já havia alegado suspeição, assim como a juíza convocada Ada Galvão, seria necessária a participação de pelo menos mais um desembargador para compor o quórum junto a Ibanez Monteiro e Gustavo Marinho. Expedito Ferreira foi convocado, mas também alegou suspeição. Já o desembargador Virgílio Macêdo está de férias até hoje e só retoma as atividades na quinta-feira (2). Com apenas dois membros aptos a votar, a Câmara Criminal não alisou o caso, que será levado à pauta novamente na terça-feira (7). Enquanto o caso não for julgado, Carla Ubarana permanecerá presa e George Leal seguirá cumprindo o regime semiaberto devido às irregularidades cometidas na Divisão de Precatórios do TJRN, investigadas na Operação Judas. reportagem www.omossoroense.com.br - Só conheço um Desembargador com moral para sentenciar aqueles colarinho branco mas precisa de no mínimo três homens honrados, e agora?


Postar um comentário