REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

domingo, 13 de outubro de 2013

TRINTA MIL ACESSOS, GRATO.

 Grato por passarem por aqui são trinta mil acessos e dando andamento ao nosso processo estive mais uma vês no fórum, vara e secretaria e gabinete do Magistrado o qual me prometeu que esse mês o nosso processo estará passando para a próxima etapa a demora se deu em virtude do grande  número de processos naquele recinto, explicou-me também e mostrou-me das dificuldades devido a uma (minhas palavras) tendencia geral do judiciário brasileiro de trancar ou melhor engarrafar a fila de processos existentes. Assim o mesmo e para o bem de toda a vara da Fazenda Pública o Dr Pedro Cordeiro, titular, tomou providencias e ao meu ver dará mais agilidade a todos os processos inclusive o nosso. Assim esperamos para breve contestar as alegações do Estado do RN que deve ser de prescrição quinquenal mesmo por que não existe outra alegação e como já afirmei em postagem anteriores o magistrado irá aceitar. A decisão de Deferir (aceitar) ou Indeferir (negar), não cabe ao magistrado nenhuma punição legal pois, nos reintegrar ou não em primeira instância legalmente não existe qualquer diferença aos olhos da Lei (decreto 20.9210 de 1932, prescrição de cinco anos) o que de fato existe é a parte moral onde envolve a carta maior do Brasil, onde rege que é nulo todo ato que não obedecerem todas as fases do processo, no nosso caso a defesa e contaditório e se é nulo é inexistente e portanto não pode sofrer lapso temporal. O único Juiz que nos reintegraria em primeira instância aqui em Mossoró, não tenho dúvida seria o Dr Vagnus Kelly. Vejo nesse Magistrado as qualidades de um Juiz de Direito e de Fato que são "aguerrido, independente e sem nenhuma dívida política" e sem a intenção de andar em gabinetes com pires na mão. Em Natal temos outro Juiz com essas características, chama-se Dr Saraiva no qual também será favorável a nossa reintegração mas infelizmente Ele é apenas um. Asim também perderemos em Natal. Nossa vitória será em Brasilia face a Constituição do nossos Pais. Eu ainda acredito na Justiça e isso nos mantém vivos.   

Postar um comentário