REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Deus e o diabo na terra.

    Quando o diabo não vem, manda o secretário, estou em paz e vivendo minha vinda simples mas dita normal não sobra dinheiro mas também não falta, claro, controlando as despesas e receitas. Ai para tirar ou tentam tirar a minha paz vem uma sacanagem do governo federal e retem temporariamente três parcelas do meu seguro desemprego e o motivo alegado foi percepção de renda própria. As cinco parcelas a que tive direito entraram na negociação do carro

 que adquiri para ser uma ferramenta de trabalho em uma nova empreitada e por que também o carro que eu estava bateu o motor, não tive opção e enquanto me requalificava e aguardava o 
o andamento da carruagem procurei o SEBRAE que é quem "ajuda" as pessoas que tentam empreender de maneira correta e para nova empreitada tinha que me legalizar e ao procurar o Sebrae   fui instruído a abrir uma empresa, uma MEI (micro empreendedor individual) para quando mas afrente   estaria eu legalizado e podendo caminhar com minhas próprias pernas no sustento da minha casa e que não me "custaria nada". ha se tenho bola de cristal! - quando fui receber a terceira das cinco parcelas do meu seguro o bendito estava bloqueado, procurei a Delegacia do Trabalho que me disse que devido eu ter aberto a MEI eu teria perdido o restante do 
seguro e mesmo se fechasse a MEI não iria adiantar me explicando que por causa das datas, bla, bla, bla... - E como eu entendo que tenho direito e eles achando que não e estamos dentro da "legalidade" procurei a Justiça Federal que é competente para julgar ações contra a União e fui como mostra os print, as fotos da tela. Como estava sem advogado para esta ação no momento fui a 13ª vara  federal e a atendente gentilmente peticionou ao magistrado e iniciou-se o processo, como já passava de cinco dias que é o prazo para apreciar uma liminar fui a 13ª vara da justiça federal e claro os por que da demora perguntei e claro a resposta muito esclarecedora "são os tramites do processo e ainda questionei e a liminar por que não foi apreciada, não são cinco dias?. Não podendo aguardar pois tinha eu a necessidade de pagar ou diria repassar as parcelas do seguro para o ex dono do carro, informei ou diria "fiz o que a corregedoria das Justiça Federal entendeu como denúncia por o falta de cumprimento de prazo pelo Magistrado(a). Como mostra o outro print e fui atendido, mexeram paginas arrumaram urgência e foi Indeferido (negado) o pedido de liminar que era a liberação de uma parcela vencida e hoje já são duas. Bom, o processo segue com os prazos e agora? - o ex dono do carro já ta me ligando, não tenho de onde tirar esses três mil reais que não é meu já eram do ex dono do carro. Quem me conhece sabe que vou pegar esse dinheiro de qualquer forma e não é ameaça mas o necessário eu vou fazer dou a quem doer e na pior das hipóteses vou visitar são pedro e dai? todos não vamos um dia. O fato é. Não procuro encrenca mas não fujo de uma e apesar de estar em uma outra missão e muito mais importante estou aqui explicando em meu espaço para que depois não me chamem de louco. É nosso dever moral, e obrigação, desobedecer a uma lei injusta.
Postar um comentário