REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Higia ou Hades, niguém vai ao tártaro?

    Operação Higia. Mascara ou capacete? - a Polícia Federal, à qual tiro o meu chapel, só errou no nome dessa operação, na época em 2008, foi usado o nome "HIGIA", deusa da saúde, que lincava os envolvidos ao desvio das verbas da saúde aqui no Rio Grande do Norte. O advogado Anderson Miguel, principal delator desse furto de dinheiro público, fora assassinado em seu escritório e não adianta tentar mostrar que não foi queima de arquivo, o estado todo sabe que foi. O nome dessa operação a partir de hoje será Higia/Hades, deus grego que significa "invisível". Invisível como a destino desse processo que após sete anos, muitos terabits de imagem e áudio, trocentas provas, duas condenações nos tribunais e muitas tentativas de influencias políticas, tentativas de acordos, subornos, intimidações e mais um monte de crimes e contravenções que passaria dois dias descrevendo e não vem ao caso agora. Nesse momento o que importa é saber o porque desses réus, ja condenados estarem usufruindo de regalias e ainda usando de dinheiro público. É certo e sabido que falta apenas a confirmação da sentença pelo STF para que esses marginais sejam trancados. Por que diabos HADES não manda esses culpados ao Tártaro, onde pagarão por seus crimes. Um adendo; por que diabos existem rumores e não explicados e nem esta no processo do envolvimento de Fátima Bezerra na proteção de Wilma de Faria, mãe do principal articulador e condenado a 16 anos 3 meses e dezoito dias de prisão e onde é sabido que a maioria dos valores eram divididos e distribuídos. Wilma na época era governadora desse estado do RN e, ficou de fora desse processo, Fátima é poderosa ou teve uma maior proteção já que Ela Fátima é ligada ao governo Federal, isso não esta explicado. Esse processo seria sentenciado pelo STF no fim de março e até agora nem um deus do olimpo se manifestou, vou esperar em Zeus, como ser soberano da mitologia espero não ter que lincar essa postagem a mais duzentas e pedir a ouvidoria do CNJ uma resposta. O único lugar dentro do judiciário Brasileiro que de fato e de direito funciona, com todo o respeito merecido aos demais setores. Acredito na Justiça e isso me mantem vivo. 
Postar um comentário