REINTEGRAÇÃO JÁ.

                     

domingo, 22 de janeiro de 2017

97 MIL ACESSOS, OBRIGADO

   Para cumprir a promessa de agradecer a cada mil acessos, muito obrigado aos quatro amigos, 11 colegas e muitos conhecidos pelo prestigio em nosso canal de informação. promessa paga, vamos aos fatos. Não se trata de "desistência voluntária e nem de arrependimento eficaz, entretanto recebi uma mensagem de uma conhecido, morador na cidade de Natal, referente a postagem RELEMBRE, onde, essa semana eu iria retribuir as sacanagens a mim imposta por quem, de bom grato, ajudei com meus conhecimentos em eletrônica, telecomunicações especialmente em grampo e antigrampo.

    A Lei protege as minhas fontes, por ser jornalista DRT 19902016-RN, e a pedido do(a) mesmo(a), não vou aqui nomeá-lo(a)s. Disse a mensagem que no momento não entendia os motivos de levar a público conversas gravadas sem autorização, com a finalidade de forçar o governo a "rever seus atos".

   Pedia Ele(a) também que eu apagasse a mensagem e tivesse um pouco mais de paciência, que havia interesse do Governo em efetivar sua promessa, mas precisava de mais tempo para os tramites. Pediu ainda a gentileza de informá-lo(a) de quem seriam as pessoas envolvidas nas escutas "clandestinas".

      Quando disse no GC que iria "FERRAR" com Wilma de Farias, ha mais de 15 anos, não fui levado a sério e estamos para colher os resultados, Fátima Bezerra a protegeu com sua varinha mágica mas o seu filho está a meses de cumprir LINK 16 anos 3 meses e 18 dias, estpera apenas a confirmação em segunda instância em Recife.

   Pra concluir a mensagem, disse ele(a) que essas publicações teria o entendimento de chantagem para que o governo revesse a minha reiteração. vou dar a minha resposta a(o) conhecido(a) potiguar (suponho).

    Não se trata de ameaça ou qualquer tipo de chantagem mesmo porque estaria eu cometendo um crime. O fato em dizer eu que iria postar as gravações dos que me sacanearam e em nenhum momento se trata de revanchismo ou chantagem. Trata-se de usar as armas que disponho em mãos, trata-se de retribuir com um potencial de destruição de uma carreira bem promissora e de uma raiva quase que  incontrolada de vingança e antes de um confronto final que penso eu, poderá existir, vou comer o bolo pelas beradas ou no jargão policial "fatiar o bolo".

     Vou segurar essas publicações que, por segurança já estão na nuvem e com o conhecimento de um dos meus quatro amigos, sei com quem estou lhe dando. Também sei que existem varias mortes envolvendo a cúpula dos governo anteriores a Robinson Farias, como Anderson Miguel e outros e  ainda mal explicadas mas também conheço quem mata e quem manda matar, sou um jornalista e já tenho quase 30 anos envolvido com segurança pública e privada. Eu me pergunto qual seria melhor, ser temido ou respeitado? Seria de mais pedir os dois. HF. 

   
Postar um comentário